Internet ilimitada: governo entra na briga

Imagine um mundo onde exista limite de internet e a qualquer momento, caso se ultrapasse esse limite, sua navegação possa ser cortada? Imagine um mundo onde a famosa banda larga, internet justa, deixa de existir para dar lugar a venda de pacotes com limite de tráfego de dados? Pois é, pode ser que esses fatos imaginários venham a se tornar realidade.
Entenda o caso sobre o limite de internet, e tudo o que está envolvido nesse assunto, que está dando o que falar em todos os veículos de comunicação.
Desde o anúncio dado pela Vivo em fevereiro, dizendo que passaria a vender planos com limite de internet, uma grande polêmica dominou a web. A dinâmica seria bem parecida com a da internet que utilizamos em nosso celular, ultrapassou o limite acabou a navegação. Seria isso um retrocesso? Estaríamos andando num caminho contrário a internet justa?
É exatamente isso que os usuários defendem, uma internet justa, que no caso seria a internet ilimitada, como todos já estão acostumados a usar. Porém a discussão está longe de chegar a um consenso.
O assunto sobre o limite da internet chegou até o governo, que por sua vez resolveu interferir na questão das operadoras de internet banda larga e as franquias de dados. O governo elaborou um “termo de compromisso” com exigências para as empresas que oferecem o serviço de internet e também com recomendações para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).
Entre as considerações do termo elaborado pelo governo está a exigência da venda de pacotes de internet ilimitada, a garantia de que não haverá quebra de contrato com os usuários, alertas sobre a proximidade do esgotamento do plano e um aviso sobre a quantidade de dados usados durante o mês.
Assim que a Anatel e os prestadores de serviço de internet cumprirem com essas determinações, em 90 dias, as empresas poderão diminuir a velocidade da internet e até mesmo cortar o serviço se o limite da franquia for atingido. Quem não quiser ter o sinal cortado ou a velocidade reduzida, poderá comprar pacotes adicionais de franquia.
Diante desse cenário onde o limite da internet parece estar cada vez mais próximo, o presidente da Anatel endossou a ideia afirmando que a era da internet ilimitada havia acabado. Será? Se depender do Ministro das Comunicações a internet justa (sem limites) jamais terá fim.
Enquanto as questões não se definem de fato, só nos resta aguardar para ver qual rumo essa polêmica irá tomar.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*