Por que um advogado deve ter um site?

Qualquer profissional que deseja expandir o alcance de sua atividade deve ser visto o máximo possível. Para tanto, é preciso que se invista em publicidade, principalmente na internet, já que é por ela que todas as pessoas se conectam em um mundo globalizado.

Um advogado deve ter um site não só por ele funcionar como uma vitrine, mas por outros motivos, também. No post de hoje, vamos listar quais são essas razões, além de falar sobre marketing jurídico. Acompanhe. 

#1 Ser encontrado pelos clientes

Muitas pessoas não possuem meios de obter indicações confiáveis quando precisam de um advogado. Da mesma forma que recorrem à internet para encontrar um produto, utilizam os mecanismos de busca para contratar serviços, inclusive os jurídicos – ou você acredita que uma pessoa não colocaria “advogado civil em São Paulo” em uma busca no Google?

Se um profissional não possui um site como um portfólio de seu trabalho, dificilmente será encontrado. Em outras palavras, ser visto é necessário em qualquer área, e os serviços jurídicos também precisam estar presentes na internet.

Para ser encontrado, é preciso ter um site com uma boa navegabilidade e otimizado, para que o primeiro resultado da pesquisa seja com o link para seu endereço. Mas pode acontecer de o cliente procurar por um conteúdo que fale sobre o problema que enfrenta: nesse caso, é importante, também, ter bons conteúdos e um blog dentro do próprio site para se posicionar frente aos concorrentes.

#2 Se comunicar com potenciais clientes e com sua audiência

Ter um site significa contar com uma ferramenta que possibilita que o advogado se comunique com potenciais clientes e com sua audiência. Quando alguém procura na internet por consultoria jurídica ou outro serviço da advocacia, avalia a forma de apresentação do profissional. Um site passa a imagem de maior autoridade para os algoritmos de busca e uma imagem mais profissional ao usuário.

Um simples resultado com endereço e telefone não é muito atraente, não acha? O site funciona como o primeiro contato entre seus serviços e o público, e a boa impressão é fundamental para converter o visitante em cliente.

Você pode ter em um site com uma central de relacionamento que responde às dúvidas mais comuns de sua audiência, gravar e disponibilizar vídeos de conteúdos relevantes para os clientes ou ter um chat para atendê-los.

#3 Iniciar sua estratégia de marketing

Ter um site é fundamental para iniciar e consolidar uma estratégia de marketing, independentemente do tamanho do negócio. O marketing digital, do qual falaremos mais adiante, cabe no bolso de qualquer advogado, inclusive aquele que trabalha sozinho. O retorno sobre investimento (ROI) que pode ser alcançado com o site é um grande atrativo e um dos motivadores de se fazer publicidade estrategicamente.

É bom esclarecer uma falácia que sempre aparece quando se trata de publicidade: o advogado que atua sozinho não possui dinheiro para investir em marketing. Por que é uma falácia? Porque, nos dias atuais, existem consultorias de marketing e agências de comunicação integrada que trabalham com diversos formatos de marketing (convencional ou inbound marketing, digital ou físico), com diferentes custos e planos de atuação para qualquer tipo de negócio.

#4 Se tornar referência de atuação e aumentar o networking

O site não é apenas uma ferramenta para atrair clientes. É extremamente importante para ampliar seus contatos com fornecedores, com concorrentes e com colegas de trabalho. Se você possui um site atraente e é um advogado que cria conteúdo de valor, passa a ser considerado como uma referência na área, o que vai muito além do aumento na cartela de clientes.

Pense em uma situação prática: supondo que você esteja a procura por um arquiteto para um projeto de sua casa, entra no Google e digita “arquiteto de estética moderna em Brasília”. O primeiro resultado encontrado é um site de um arquiteto, com portfólio, domínio próprio e e-mail personalizado. O segundo é um arquiteto cujos dados estão inseridos em uma página geral de arquitetos brasilienses. Qual desses profissionais passa mais autoridade?

Ao se tornar referência, a primeira consequência é o melhor posicionamento no mercado. O advogado ganha respeito e admiração dos colegas e da concorrência, abrindo portas para novas oportunidades dentro do Direito: palestras, cursos, seminários e demais eventos do ramo podem aparecer na sua agenda com um marketing bem feito.

Ao aliar um site com as redes sociais, por exemplo, o advogado se vê vinculado a uma proposta viável de fortalecimento de sua marca e de seu negócio. Com um posicionamento de destaque, novos contatos que se interessam pelo trabalho surgirão, seja colaborando com sua atividade, seja precisando dos seus serviços. O site é uma forma de fazer você ser lembrado.

#5 Se inserir melhor no mercado e crescer

O Inbound Marketing é um tipo de publicidade que chega ao cliente de forma natural, ao contrário do marketing tradicional, que tem uma postura agressiva, de jogar a oferta nos olhos do público. Ele pode ser um grande diferencial para que o advogado se insira melhor no mercado, já que é difícil competir com os grandes e consolidados escritórios do seu segmento de atuação utilizando as mesmas estratégias.

O site é essencial para que, após se inserir no mercado, você cresça no seu ramo de atuação, pois é uma ferramenta de geração de leads (futuros clientes). Existem estratégias que marketing que, unidas com o site, possibilitam prever um crescimento.

O marketing jurídico contribui para que o advogado vença os principais desafios da carreira, que são a falta de recursos financeiros e clientes, e o desconhecimento do público quanto aos serviços prestados.

Porém, vale uma lembrança extremamente importante: o marketing jurídico tem limitações previstas no Código de Ética e Disciplina, que devem ser respeitadas na hora da divulgação dos serviços. Como exemplo, o uso de logotipos é permitido, mas ele tem que ser compatível com a sobriedade da Advocacia; não é permitida a publicidade através de rádio ou televisão; é vedada a divulgação dos serviços de advocacia em conjunto com outra atividade.

Ter um site é muito eficaz para construir e consolidar sua marca pessoal, captar e se relacionar com clientes e outros públicos, e se tornar uma referência no mercado. Tenha um site e aproveite a forma de marketing que chega ao local onde seu público-alvo mais interage: a internet.

Ficou com alguma dúvida sobre a importância que representa para um advogado ter um site? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*