6 momentos decisivos na carreira de um advogado

Verifique abaixo todos os momentos decisivos na carreira de um advogado

Quando ingressamos no ensino médio, os educadores começam a solidificar ideias acerca do futuro no mercado de trabalho, e, ainda jovens, procuramos por todas as opções que nos agradam. O Direito é uma área bastante visada, e, por isso, todos os anos, milhares de profissionais se formam e entram para o mercado de trabalho. Assim como em todas as profissões, existem momentos decisivos na carreira de um advogado, e que influenciam em todo o percurso da profissão.

No post de hoje, listamos 5 deles, começando pela escolha da profissão. Confira.

1. A escolha pelo Direito

O Direito é uma das áreas de conhecimento mais antigas e tradicionais do mundo e, apesar de existir no mercado há centenas de anos, ainda é um dos cursos que mais formam profissionais no Brasil, ao lado da Administração e da Medicina.

Quando alguém passa a considerá-lo como sua opção de formação, deve estar preparado para o que vem pela frente. Mergulhar no universo legal e compreender a influência do Direito na vida em sociedade demanda dedicação, empenho e muita leitura.

O Direito é uma ciência humana profunda, que se volta para a avaliação de comportamentos sociais, e que, na teoria, possui um grande senso de justiça. Não é difícil imaginar o porquê os estudantes se sentem atraídos pela profissão, mas é necessário destacar que é preciso muito mais do que interesse.

O autoconhecimento sobre as habilidades e talentos

Para fazer a escolha certa nesse, que é um dos momentos decisivos na vida de um advogado, o estudante deve possuir habilidades e talentos de leitura, escrita, estudo, persuasão, oratória e outros. Além disso, deve estar aberto para abusar da interdisciplinaridade, que é tão requerida para formar bacharéis completos, que conseguem fazer análises que transpõem o mundo jurídico e alcançam o social a todo o momento.

Há, ainda, aqueles que escolhem a profissão devido à experiência profissional de pais e familiares, vendo uma segurança maior no mercado de trabalho em herdar a profissão. Porém, como vimos, é preciso ter a consciência dos talentos e habilidades individuais na hora de escolher o Direito: de nada adianta ter espaço no mercado se não se faz o que se gosta.

Em geral, os advogados amam o que fazem, e a escolha pelo Direito é um momento decisivo, porém natural.

2. O curso de Direito

Para entrar na Faculdade de Direito, o advogado, além de ter se preparado para as provas, precisou escolher em quais instituições gostaria de se formar. Atualmente, existem infinitas possibilidades no Brasil, uma vez que é possível identificar faculdades de Direito em todo canto. Porém, o que o estudante deve considerar são os cursos reconhecidos pelo MEC, que atingiram bons índices nas provas do Ministério da Educação e de aprovação na OAB.

Cursar uma faculdade de primeira linha pode trazer mais oportunidades no mercado de trabalho para o advogado. Por isso, é importante investir em estudo na hora da escolha, principalmente no caso das faculdades particulares (os cursos de Direito costumam ser caros).

Depois de ingressar, se engana quem pensa que, durante os 5 anos de curso de Direito, o advogado precisou apenas estudar e ler bastante. Acima disso, ele teve que fazer estágios, networking e se preparar para a prova da OAB.

O networking na faculdade

Um profissional de sucesso, em qualquer segmento de atuação, possui uma boa rede de contatos e de relacionamentos. O chamado networking é muito relevante para consolidar a base de uma carreira, qualquer que seja ela – e muitas parcerias de sucesso passam pela construção dessas relações.

A rede profissional está sempre crescendo, e ela começa quando se ingressa na faculdade (colegas, chefes de estágio e professores). Muitas relações construídas nesse período se tornam parcerias para a vida toda, principalmente entre aqueles amigos que abrem um escritório juntos, outro dos momentos decisivos na carreira de um advogado. 

3. Estágio profissional

A escolha pelo estágio profissional é um momento importante para a formação de advogado. Por meio dele, o estudante começa sua preparação prática para atuar na advocacia e, por isso, deve escolher cuidadosamente essa experiência. Muitos estudantes preferem realizar estágios apenas durante o tempo obrigatório para se formar, mas o interessante é aproveitar cada período para crescer na profissão.

Defensoria Pública, Ministério Público, Tribunais de Justiça e escritórios de advocacia dão uma noção completa de quais funções o bacharel de Direito poderá exercer.

4. O exame da OAB

No fim do curso, além de se preocupar com as disciplinas da faculdade, o estudante deve se preparar para o exame da OAB, que possibilita o exercício da advocacia. Caso aprovado, ele começa a corrida por uma colocação no mercado.

5. Ingresso no mercado de trabalho

As faculdades de Direito no Brasil lançam no mercado de trabalho milhares de profissionais por semestre. Os advogados iniciantes começam a buscar seu espaço lidando com as dificuldades comuns do início da carreira, principalmente com a grande oferta de profissionais e com a competição acirrada.

Para driblar essas dificuldades, o profissional precisa adotar estratégias que contribuam para atingir os objetivos. Algumas delas são:

  • Ter um espírito empreendedor: ver a profissão como um negócio gera valorização orgânica e espontânea de seu trabalho por todos que se incluem no mercado jurídico, desde profissionais colegas até clientes.
  • Investir em marketing jurídico: um marketing bem feito, conforme as regras do Código de Ética da OAB, é o que solidifica a marca do advogado no mercado e o que gera publicidade, de forma inteligente, aos seus serviços.
  • Ampliar a rede de contatos: quanto mais pessoas conhecem um advogado, seu trabalho, área de atuação e suas capacidades, maiores são as chances de indicações e recomendações de clientes e empregos.

Após ingressar no mercado de trabalho, o advogado deve se preocupar em se manter nele, e uma das formas mais indicadas é a qualificação profissional. 

6. Qualificação profissional: um dos momentos decisivos na carreira de um advogado

Mercado competitivo, muitos profissionais e poucas oportunidades. Ter um curso superior de Direito não é o bastante, e, por isso, o advogado deve investir na sua capacitação profissional. Estender os estudos após o bacharelado é uma das formas de ser um advogado de sucesso, uma vez que os clientes procuram por profissionais mais capacitados, especializados.

Se tornar especialista e buscar excelência no ramo de atuação, por meio de uma pós-graduação ou um MBA, mestrado e doutorado, é um caminho obrigatório para quem deseja alcançar uma posição de destaque no mercado. O advogado especialista tem maior empregabilidade, que é o conjunto de conhecimentos, habilidades e comportamentos que torna o profissional importante para qualquer empresa.

A capacitação é, também, um dos momentos decisivos na carreira de um advogado e uma das formas de atender às ambições na carreira, já que aumenta as possibilidades de promoção, de atender às expectativas dos clientes e de alcançar a excelência na prestação de serviços.

Por fim, capacitar-se também possibilita ao advogado atender às demandas complexas e às questões burocráticas que, em muitos casos, não conseguem ser atendidas por profissionais sem especialização. Muitas situações fogem do conhecimento ordinário e passam a exigir do advogado um estudo que, por vezes, podem ir além da capacidade que ele tem naquele momento – uma mera publicação no DOU, por exemplo, não é simples para qualquer um.

Esses são alguns dos momentos decisivos na carreira de um advogado de sucesso, e é preciso dedicação em todos eles para construir uma trajetória profissional de sucesso. E então, ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*