Como Se Tornar um Analista de Licitação

Como Se Tornar um Analista de Licitação

O poder público é um dos maiores compradores de bens e serviços, mas, esse procedimento só pode ser feito através de um processo licitatório. Por essa razão, a profissão do analista de licitação pode ser bastante promissora. A seguir, confira mais sobre a carreira e saiba como ingressar neste mercado!

O que faz um analista de licitação?

O analista de licitação é responsável por acompanhar editais em busca de oportunidades de negócio para a empresa em que trabalha, independente do porte ou setor de atuação.

Portanto, cabe a esse profissional analisar editais, definir orçamentos, organizar propostas de acordo com a documentação solicitada e gerir os contratos de licitação. Além do mais, também é do desígnio da profissão acompanhar e monitorar, assiduamente, os processos licitatórios, bem como participar de pregões online e presencial, entre outras modalidades.

Vale destacar que, em todas as atividades, o analista de licitação deve ter total atenção quanto ao cumprimento de prazos, exigências e condições presentes em um processo licitatório. Para isso, é possível utilizar os recursos do Diário Oficial da União para acompanhar as etapas de uma licitação. Inclusive, esta é a maneira mais rápida e eficaz de descobrir novos processos.

Por outro lado, esses especialistas também podem atuar em órgãos públicos e em organizações da área jurídica, como, por exemplo, na abertura de novos editais ou na avaliação de propostas de venda de bens ou serviços.

Como se tornar um analista de licitação?

Não existe uma graduação específica para se tornar um analista de licitação. Profissionais de todas as áreas podem adentrar nessa profissão. O importante, neste caso, é dominar todos fundamentos sobre licitação e as leis brasileiras que regem esses processos.

Além disso, noções básicas de administração, como planejamento, elaboração de contratos e gerenciamento de informações também são fatores importantes para que o profissional tenha êxito na área. Somado a isso, possuir habilidade de comunicação para negociar com empresas, órgãos públicos e pregoeiros é outro aspecto comportamental indispensável.

Entretanto, embora seja exigido apenas ensino médio completo para ingressar na área, os cargos de analistas de licitação são ocupados, principalmente, por profissionais com formação superior em Direito, Administração e Ciências Contábeis — conforme informações apresentadas por sites de vagas de emprego.

Portanto, há duas principais formas para tornar-se um analista de licitação, independente da sua graduação:

  1. realização de cursos livres para adquirir conhecimento técnico sobre processos licitatórios;
  2. especialização em processos e contratos licitatórios através da educação continuada, como pós-graduação e MBA.

Lembrando que, quanto maior seu grau de instrução, maiores as chances de conquistar melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Gostou de conhecer mais sobre a carreira do analista de licitação? Aproveite para conferir mais publicações do E-dou e mantenha-se sempre informado!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*