Como um advogado pode atender às expectativas dos clientes?

Você têm um bom relacionamento com o seu advogado?

A relação entre advogado e cliente é baseada em confiança. O bom relacionamento entre eles, a agilidade na resolução da demanda, a transparência durante o processo e a capacidade de resolução de questões burocráticas são algumas práticas que fazem o advogado atender às expectativas dos clientes. Veja como colocá-las em ação!

O advogado e bom relacionamento com o cliente

Sabendo que o cliente é a chave de sucesso para qualquer empreendimento, ter um bom relacionamento com ele é o primeiro passo para atender suas expectativas. Lidar com pessoas é uma habilidade essencial para profissionais de sucesso, e o advogado, em especial, deve saber como tratar o cliente com atenção e respeito.

Isso porque, quando uma pessoa procura um escritório de advocacia ou um advogado, ela tem uma questão delicada para decidir, o que causa aflição e apreensão. Por este motivo, o profissional que a recebe bem, utilizando uma comunicação clara e objetiva para que o cliente o entenda, sai à frente para ganhar sua confiança e suprir suas necessidades.

Disponibilidade

Mostrar-se disponível para o cliente causa um sentimento de acolhimento, e ele passa a se sentir amparado pelo simples fato de o advogado mostrar que entende sua aflição e está cuidando de tudo para resolvê-la da melhor forma possível.

Uma das maneiras de mostrar disponibilidade é deixar claro ao cliente que todas as informações que precisar poderão ser dadas pelo profissional diretamente ligado ao caso ou pela equipe de relacionamento com o cliente. Práticas simples, como dar o número de telefone ou e-mail podem fazer a diferença no seu atendimento.

Fidelização do cliente

Dentro das práticas de bom relacionamento com o cliente, alguns pequenos gestos contribuem para a fidelização e para a retenção, como estreitar as vias de relacionamento. O escritório que se preocupa com o crescimento de seu negócio, que depende diretamente da extensão da cartela de clientes, se comunica com a parte que representa por meio de sites, e-mails, blogs e mídias sociais.

As pesquisas de marketing mais recentes demonstram que o cliente se sente mais seguro quando encontra conteúdo relevante das empresas com as quais se relaciona. Esses conteúdos, em geral, estão nas redes sociais (Facebook, Twitter e LinkedIn, principalmente). Mas não se esqueça da comunicação por e-mail, que ainda é extremamente efetiva: um mero cartão de aniversário ou de fim de ano muda a forma como o cliente vê o escritório.

Agilidade na resolução

O cliente precisa de auxílio para lidar com suas inseguranças, do início da demanda até seu fim. Administrar as expectativas dele em relação ao processo passa pela agilidade do advogado na resolução do caso, o que não significa, apenas, envidar esforços para ganhar a causa.

O profissional precisa se dedicar e se capacitar para que saiba como administrar vários processos simultaneamente e ter conhecimento sobre todos eles, de forma a agir sempre dentro dos prazos, e da melhor forma possível. É preciso ter em mente que o conhecimento acerca da situação processual em que cada causa se encontra é o que faz com que o cliente se sinta atendido em suas ambições.

Transparência durante o processo e as expectativas dos clientes

O cliente é, em geral, uma pessoa leiga no que diz respeito às leis, termos jurídicos e movimentações processuais. Não é difícil se imaginar no lugar dele e entender que o desconhecimento acerca de uma situação pessoal, que está sendo discutida na justiça, causa angústia e apreensão.

O papel do advogado, para atender às expectativas dos clientes, é de prezar pela transparência das informações durante o processo, mantendo a parte informada, inclusive, sobre questões processuais, traduzindo aquilo que ele não entende, e o tranquilizando acerca da sua demanda.

Capacidade de resolução de questões burocráticas

Para completar uma prestação de serviços excelente, o profissional deve, ainda, ter plena capacidade de resolver as questões burocráticas que surgem durante o processo. E, aqui, não falamos apenas dos atos processuais exigidos, que, por si só, fazem parte da burocracia do processo civil brasileiro.

Após o trânsito em julgado, alguns atos posteriores podem ser de interesse do cliente, como, por exemplo, a publicação no Diário Oficial. Como já é de conhecimento, publicar nos Diários é um processo não tão simples, que exige algumas burocracias. O advogado deve, assim, ser capaz de resolvê-las de forma a atender o desejo do cliente.

O profissional da advocacia que atende às expectativas dos clientes por meios dessas práticas acaba por fidelizá-los, alimentando a cadeia de sucesso do escritório. Caso tenha alguma dúvida sobre a relação do advogado com seu cliente, escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*