Por que um advogado deve ter espírito empreendedor?

Saiba porque um advogado deve ter um espírito empreendedor

Um advogado de sucesso, certamente, trabalhou muito para atingir esse nível de carreira, e uma das características desse perfil de profissional é o espírito empreendedor. Para quem está no início de carreira, é preciso aprender os caminhos para consolidar a vida profissional, e isso passa por aprimorar a habilidade de empreender.

Mas por que esse espírito é tão importante? No artigo de hoje, vamos falar sobre o porquê é preciso desenvolver o empreendedorismo para crescer como um advogado. Acompanhe e inspire-se!

Para pensar na carreira de forma estratégica

“Disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios”. Esse é o conceito de empreendedorismo, e, para aplicá-lo na advocacia, o profissional deve pensar em sua carreira de forma estratégica. Um bom planejamento é capaz de tirar os sonhos do campo das ideias e torná-los reais por meio de ações.

Planos de negócios, metas e objetivos constituem um planejamento estratégico de carreira. Qual a meta de sua atuação? Tornar-se referência em Direito Marítimo na cidade do Rio de Janeiro? Quais são seus objetivos? Respondendo a essas perguntas, é possível concretizar o seu sonho.

Se você tiver alguma dificuldade para estabelecê-los, uma alternativa interessante é procurar por modelos de negócios de sucesso, que, ajustados ao seu empreendimento, o farão crescer.

Mas lembre-se de que essa capacidade de planejar precisa ser aprimorada. Assim como o administrador tem mais tato para isso, o advogado possui mais capacidade de lidar com as leis. Portanto, investir em qualificação administrativa é importante para exercer bem sua capacidade de planejar estrategicamente.

Para se destacar no mercado jurídico

Ter espírito empreendedor é essencial para os negócios na advocacia e para ampliar os horizontes do escritório. Destacar-se no mercado jurídico por meio de ações eficientes pode consolidar a sua marca, e uma das formas de fazer isso é adotando o marketing jurídico.

O primeiro ponto a ser esclarecido sobre o marketing jurídico é que ele deve obedecer às regras específicas previstas no Código de Ética da OAB. Contanto que ele seja feito dentro dessas regras, o índice de eficácia pode ser bastante satisfatório quando o trabalho é realizado por um profissional qualificado.

Qualquer empreendimento, independentemente do seu poder financeiro, deve investir em marketing. As variadas vertentes da publicidade são capazes de se adequar a qualquer orçamento, principalmente o marketing de conteúdo, que possui ótimo custo/-benefício.

O advogado que possui um espírito empreendedor sabe que sua presença nas redes sociais e na internet é uma grande aliada na divulgação dos negócios. Traçar estratégias para o marketing jurídico está intimamente relacionado ao planejamento feito, uma vez que é preciso saber para quem se fala e o porquê se fala.

Um lembrete importante a respeito do marketing jurídico: o público é ávido por conteúdos de valor, que acrescentam informações relevantes. Por isso, tenha auxílio de um especialista para traçar planos condizentes com o público-alvo e com suas atividades. O resultado é um só: consolidação da marca em posição de destaque no mercado jurídico.

Por fim, vale a lembrança de que, para se destacar no mercado, juntamente com o marketing, o advogado precisa investir em qualificação profissional. A construção da autoridade passa pela especialidade em determinada área, uma vez que o mercado pouco valoriza o advogado generalista.

Para criar e aproveitar as oportunidades

Um advogado empreendedor deve possuir proatividade e agilidade para criar e aproveitar as oportunidades. Pensar novas formas dentro da profissão, sair da zona de conforto e agregar conhecimentos de valor para o escritório são práticas de um bom empreendedor na advocacia. Isso possibilita ao profissional apresentar soluções inovadoras para o negócio, próprio ou de terceiros.

Um advogado que sabe criar oportunidades de negócios costuma se destacar no mercado jurídico. E como criá-las? De várias formas, e uma delas nós já vimos, o marketing de conteúdo, Mas há outras práticas que também contribuem para isso, como a capacitação em uma área pouco explorada, mas que esteja em expansão.

Para entender as necessidades dos seus clientes

Aproveitar as oportunidades está intimamente ligado ao conhecimento do mercado jurídico, e, também, ao entendimento sobre as necessidades dos clientes. Sabe o por quê? Porque um cliente prefere o profissional que encontra soluções inteligentes para seus problemas e que sabe tirar o máximo de proveito de uma situação.

Imagine que um cliente precise lidar com muitas questões burocráticas, seja em processos contenciosos ou na administração do negócio. As Sociedades Anônimas, por exemplo, têm necessidade de publicação do DOU, que é um procedimento delicado e cheio de detalhes. Um advogado com espírito empreendedor, e que vai atrás de soluções, vai poder atender esse perfil de cliente sem grandes problemas.

Em exemplo semelhante, a presença de um advogado em uma agência de publicidade pode ser o motor para alavancar os negócios, já que ele pode sugerir a participação em processos licitatórios da administração pública, garantindo boas chances de contas grandes para o atendimento.

Em outras palavras, o espírito empreendedor do advogado é essencial para entender as necessidades do cliente ao prestar consultoria e para avaliar e mostrar oportunidades de negócio.

Para fazer uma melhor gestão do tempo e da equipe

Fazer uma reunião produtiva, com objetivos bem traçados em pauta, é o que motiva os advogados envolvidos em um negócio a executarem bem a estratégia planejada. É uma forma de tornar a gestão do tempo e da equipe mais eficaz, e se engana quem pensa que essa é uma questão marginal para o advogado empreendedor.

Criar uma cultura organizacional de produtividade é uma forma de alcançar mais resultado em menos tempo, de modo mais satisfatório e com maior realização.

O planejamento estratégico da carreira, a qualificação e o aprimoramento das competências profissionais jurídicas e administrativas, a inovação, o investimento em marketing, o bom atendimento ao cliente e a boa gestão de tempo são práticas de um advogado com espírito empreendedor.

Unidas, elas conseguem elevar o patamar de atuação do profissional de forma a consolidá-lo no mercado jurídico. Você está pronto para isso?

Se ficou com alguma dúvida sobre como aprimorar o empreendedorismo na sua atuação, escreva pra gente pelos comentários e até a próxima.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*