Como montar um escritório de advocacia?

Veja como montar um escritório de advocacia

Empreender na área do Direito e montar um escritório de advocacia é um sonho de muitos profissionais, e, como em qualquer negócio, deve haver boa estruturação das atividades operacionais e da atividade-fim.

É exatamente por isso que, para ter um escritório de advocacia de excelência, alguns passos são fundamentais. Você sabe quais são eles? Confira no artigo de hoje.

Os principais passos para montar um escritório de advocacia

A prestação de serviços jurídicos pode ser feita de várias formas, e o escritório de advocacia próprio é o modo que melhor se adéqua a um perfil específico de profissional: o empreendedor. Pensar em um negócio que atenda às expectativas profissionais e pessoais, escolher um local e a forma de atuação e estudar o mercado são algumas das etapas para montar um escritório de advocacia corretamente.

Veja os principais passos para ter seu próprio negócio jurídico!

#1 Avaliar o mercado

Conhecer o mercado consumidor da advocacia é primordial para traçar a estratégia de um novo negócio. Algumas áreas têm apresentado crescimento nos últimos anos, enquanto outras presenciam a queda da demanda. Por este motivo, é preciso abordar algumas questões para mapear as necessidades:

  • Quais as áreas mais promissoras para o Direito nos próximos anos, no Brasil e na sua região de atuação?
  • Quais as regiões em que essas áreas são mais demandadas?
  • Quantos escritórios da área existem na sua região de atuação?
  • Quais são os pontos fortes e fracos dos concorrentes e como você pode tirar vantagem disso?

Além de contribuir para definir o foco da atuação do escritório, essas perguntas conseguem direcionar o empreendedor a escolher o melhor local e estrutura (tamanho e número de funcionários) do seu negócio.

#2 Definir a(s) especialidade(s) de atuação

A partir da análise de mercado, o advogado deve escolher qual será o foco da atuação de seu escritório. É sabido que o especialista possui mais mercado e é mais bem visto por terceiros do que o advogado generalista.

É possível montar um escritório de advocacia sem investir em sua qualificação na área na qual pretende atuar? Sim, mas não é recomendável, pois a competição entre os empreendedores jurídicos é enorme, e a capacitação profissional é o primeiro passo para se destacar no mercado.

A definição da especialidade de atuação passa, também, pela escolha de abrir um escritório sozinho ou com outros sócios. Se você é especialista em Direito Imobiliário e seu sócio se capacitou em Recuperação Judicial e Falências, o negócio poderá, tranquilamente, abranger os dois mercados.

#3 Avaliar os custos iniciais e permanentes

Qualquer negócio no Brasil demanda um investimento inicial alto, uma vez que é preciso, além de investir na infraestrutura física, arcar com os custos para abrir uma empresa junto aos órgãos públicos, como os de:

  • Registro de marca (INPI);
  • Registro no CNPJ (Receita Federal) e na Junta Comercial;
  • Obtenção de alvará de funcionamento junto à Prefeitura e ao Corpo de Bombeiros;
  • Registro na Previdência Social, na Secretaria Estadual da Fazenda, na Caixa Econômica Federal, na Entidade Sindical Patronal, na OAB.

Além do investimento inicial, é importante fazer uma projeção de gastos considerados como custos permanentes do escritório: aluguel, manutenção do imóvel (energia, água, condomínio, limpeza etc.), pessoal, equipamentos e tributos.

#4 Escolher um regime tributário adequado

Concomitantemente à avaliação de custos, os profissionais devem realizar um planejamento tributário para o negócio com o objetivo de encontrar o regime tributário mais adequado. Não há como montar um escritório de advocacia sem esse plano, uma vez que ele evita custos desnecessários na gestão de tributos da empresa, aproveitando créditos e isenções fiscais, ou seja, confere vantagem competitiva com a maior oferta de recursos.

Nessa etapa, caso os advogados não tenham conhecimento tributário e fiscal suficiente, é importante contar com um profissional de contabilidade para auxiliar no planejamento.

#5 Organize o processo de prestação de serviços jurídicos

A partir do momento em que a estrutura de base do escritório é solidificada, é preciso organizar as etapas de prestação dos serviços para atender às expectativas dos clientes. As mais importantes que podemos elencar em um escritório de advocacia são:

  • Atendimento comercial: realizará o primeiro contato com o cliente e com os fornecedores, prestando as informações necessárias. Essa etapa pode gerar o agendamento de reuniões e de visitas ao escritório para a elaboração da proposta comercial.
  • Atendimento ao cliente: se o escritório ainda não possuir uma pessoa encarregada em atender o cliente, o advogado pode assumir a função de sanar as questões do cliente sobre seu processo, agendar reuniões e enviar e receber documentos pertinentes à causa.
  • Prestação jurídica em si: dentro de um escritório, há muitas funções a serem preenchidas por profissionais de Direito, como o estudo de casos, as consultorias, a pesquisa de jurisprudência e doutrina, elaboração de peças processuais e outras.

#6 Utilizar a tecnologia

Em pleno 2017, não há como montar um escritório de advocacia que não acompanhe as tendências tecnológicas. A modernização do negócio desde sua instituição, em processos administrativos e operacionais, é um dos trunfos de produtividade e eficiência em um empreendimento.

Atualmente, existem muitos softwares jurídicos de gestão que fazem o trabalho que, antes, era de responsabilidade de gestores: acompanhamento processual, atualização legislativa, agendamento de reuniões, gestão de contas e outras tarefas.

Por isso, quando for considerar os custos iniciais do escritório, não se esqueça de colocar o investimento em tecnologia como uma prioridade.

#7 Adotar o marketing jurídico para captar clientes

O marketing jurídico deve ser feito respeitando os limites impostos pelo Código de Ética e Disciplina da OAB e, quando feito por alguém com conhecimento em internet, traz resultados positivos – principalmente no que diz respeito à captação de clientes, o que é extremamente importante na hora de montar um escritório de advocacia.

Os advogados que conseguem fazer um bom marketing do negócio colhem benefícios como a credibilidade e bom posicionamento no mercado – isso porque o marketing jurídico, principalmente o digital, é o motor que orienta e aprimora a marca do profissional, melhorando sua presença na internet.

Se você pretende ser um advogado de sucesso em alguns anos, é preciso saber como montar um escritório de advocacia corretamente. Além dos empecilhos iniciais que podem ser transpostos com facilidade por alguém com espírito empreendedor, o auxílio de outros profissionais em áreas específicas pode alavancar o crescimento profissional!

E então, você pretende montar um escritório de advocacia para mudar a sua carreira? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*