Qual o perfil do advogado moderno?

Modernidade passa pelo conceito de evolução tecnológica. Um advogado moderno possui características que vão além da capacitação profissional e atingem a relação do profissional com a tecnologia. Essas características, em conjunto, formam um perfil interessante, capaz de atender a um novo modelo de clientes e de organizar um negócio.

Relação do advogado moderno com a tecnologia

A era da gestão e do armazenamento de documentos físicos acabou com o advento da tecnologia na advocacia. Atualmente, quase tudo pode ser feito por meio digital, dada a automação do negócio. A principal consequência disso é o aumento da capacidade do advogado moderno de trabalhar com menos burocracia em sua rotina.

Com o dia a dia mais organizado e menos burocrático, o profissional consegue gerir melhor o tempo e aumentar a produtividade. Em outras palavras, otimiza a atividade jurídica, aumentando a probabilidade de prospectar clientes e de prestar um serviço com mais excelência.

O tempo que um advogado perdia para consultar manualmente os diários oficiais, por exemplo, pode ser destinado a uma atividade mais crucial da advocacia. Por isso, é correto dizer que o advogado moderno tem um perfil marcado pela boa relação com a tecnologia e o aproveitamento do que a internet o oferece – ou melhor: a tecnologia revolucionou a advocacia.

O perfil do advogado moderno

Tecnológico, empreendedor e ávido por conhecimento. Essas três características do advogado moderno dão origem ao quarto atributo: satisfação na carreira. Juntando tudo, temos o perfil desse profissional, que presta serviços buscando a excelência.

Boa relação com a tecnologia

Utilizar aplicativos e plataformas para ter uma boa organização pessoal e administrativa de sua atividade é um dos trunfos do advogado moderno. Podemos encontrar no mercado organizadores e lista de tarefas, ferramentas de edição de texto, gerenciamento de grupos de trabalho, scanner manual, blocos de notas, armazenamento em nuvem, medição de produtividade e inúmeros outros.

Além desses aplicativos, os softwares de gestão jurídica têm ganhado cada vez mais força na profissão. Eles aperfeiçoam os métodos de trabalho, organizando processos, finanças e relações comerciais de todo o escritório de advocacia.

Dentre suas funções, se destacam o gerenciamento de processos (atualização de andamentos, inclusão de dados), a emissão de relatórios referentes à atividade jurídica, financeira e comercial, o controle de prazos e a organização das agendas de tarefas.

Alguns softwares de gestão jurídica possuem o CRM (Costumer Relationship Manager), um conjunto de tecnologias, práticas e estratégias com foco no cliente. Ele é utilizado pelas empresas com o objetivo de gerir seus relacionamentos, antecipar necessidades, analisar as interações e aumentar a captação de novos clientes.

Ou seja, além de apresentar benefícios evidentes na administração do trabalho jurídico (elaboração de agenda de compromissos, auxílio em processos operacionais, organização da informação etc.), essas ferramentas tecnológicas ainda contribuem para gerir e aumentar a cartela de clientes.

Navegar em portais com temas da profissão

Uma característica forte do advogado moderno é a busca por conhecimento. E aqui não estamos falando de se especializar para atender à demanda do mercado, mas de se manter atualizado sobre as discussões do Direito. Para isso, é preciso navegar em portais destinados ao seu campo de atuação.

Dentre os mais visitados e tradicionais, podemos citar o JusBrasil, o Migalhas e o Conjur, além dos portais dos jornais. O JusBrasil, ao contrário do que muitos pensam, é uma empresa de tecnologia, e não de profissionais de Direito. Porém, um de seus objetivos é levar informação jurídica ao leitor, disponibilizando artigos, jurisprudências e notícias do mundo jurídico.

O Migalhas tem uma abordagem semelhante: é um portal jurídico, com doutrina, jurisprudência e legislação. Sua diferença está na linguagem que, em determinadas postagens, é descontraída e irônica. O Conjur (ou Consultor Jurídico) já é uma revista eletrônica (publicação independente) sobre direito e justiça, com notícias, colunistas, artigos e entrevistas.

Aos poucos, o advogado moderno começa a descobrir outros portais, que facilitam seu serviço e diminuem a burocracia. As consultas e publicações no Diário Oficial da União e no Diário Oficial do Estado, por exemplo, não são bichos-de-sete-cabeças como aparentam, já que há como terceirizar esse serviço.

Desejo de empreender na advocacia

Ter um espírito empreendedor é uma das características marcantes do advogado moderno. Empreender é ter disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios. Aplicá-lo na advocacia não é fácil, pois requer conhecimentos adicionais do advogado, mas é necessário pensar na carreira de forma estratégica. Com um bom planejamento, os sonhos saem do campo das ideias e se tornam reais.

Ao ver a advocacia como um negócio, o advogado moderno vê que têm necessidade de aprender conceitos de administração, marketing, contabilidade e empreendedorismo. Isso porque a qualidade não é um diferencial para os escritórios, já que os profissionais estão cada dia mais qualificados.

De acordo com Anna Luiza Boranga, especialista em administração de escritórios, “para competir, é preciso ter instrumentos a mais. As técnicas de administração devem e podem ser aplicadas nos escritórios, além disso, estratégia é saber dizer não a serviços que vão tirar o escritório do seu foco”.

Para ver o empreendedorismo dando resultado (valorização orgânica e espontânea do trabalho), é preciso aplicar na advocacia algumas práticas para se colocar em posição de destaque no mercado. Dentre elas estão a inovação e o risco calculado, que ajudam o advogado moderno a pensar novas formas dentro da profissãoOutra, essencial no empreendedorismo, é o pensamento estratégico. Pensar em planos de negócios, metas e objetivos, e procurar modelos de negócio de sucesso é fundamental para ter uma boa gestão do negócio.

Por fim, o advogado empreendedor adota o marketing jurídico, independentemente do montante de recursos disponíveis. Ter um marketing eficiente, obedecendo às regras de publicidade específicas do Código de Ética da OAB, é uma ótima forma de se colocar melhor no mercado.

Satisfação com a escolha da profissão

A relação do advogado moderno com sua profissão deve ser a mais honesta possível. Diante de um mercado tão competitivo, é muito difícil adotar práticas para se manter e crescer na carreira. Por isso, é raro encontrar advogados inseridos nesta realidade que não estejam satisfeitos com a escolha pelo Direito. Se você não gosta, não envida esforços para se desenvolver em algo.

O advogado moderno possui um perfil pronto para o sucesso na profissão. Com boa relação com a tecnologia, com espírito empreendedor e movido pela satisfação profissional, a carreira só tende a crescer.

E você? Se enquadra no perfil do advogado moderno? Ficou com alguma dúvida sobre as características necessárias para se enquadrar nesse novo perfil? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*